h1

P.S. Eu Te Amo

setembro 10, 2009

O amor nunca morre

Com beleza e delicadeza, filme mostra a recomposição de uma mulher após a morte de seu grande amor

NOTA: 9

Comédia romântica é aquele drama: os Estados Unidos são exportadores infindáveis desse gênero que parece inesgotável. No meio da enxurrada de águas-com-açúcar que recebemos todos os meses – alguns que ainda ganham as telonas e outros que, coitados, saem direto para os catálogos – fica realmente difícil acreditar quando um destes é realmente bom.

Quando é assim (e na maioria dos casos de filmes, digamos, “duvidosos”), eu gosto de ouvir diversas opiniões antes de me convencer que vale realmente perder um tempo. Neste caso, alguém já havia me falado que P.S. Eu te Amo era bom, mas não dei muito crédito.

Por fim, com uma segunda opinião favorável, decidi me arriscar. Ainda bem que a vida é feita destes pequenos riscos! É claro que assistir um filme ruim não tem nada de arriscado – a não ser ficar com aquela horrível sensação de perda de tempo e desgosto. Mas assistir um filme bom, ah, faz toda a diferença!

Holly e Gerry são um casal jovem, recém-casado, que leva uma vida normal e feliz. A vida de Holly muda com a morte prematura do marido por conta de uma doença, e ela se vê obrigada a seguir em frente contra sua vontade. A reviravolta ocorre nos vinte primeiros minutos, e expõe logo de cara as fraquezas da protagonista, fazendo-nos imediatamente abandonar o espírito alegre com o qual havíamos começado.

Passado o momento de comoção e choro (dela e nosso também), acompanhamos a vida da moça mergulhando em festas, no álcool e na depressão enquanto tenta superar sua perda. Após obviamente fracassar, as amigas de Holly vêm ao seu auxílio e tentam em vão reanimá-la. Até que sua mãe lhe entrega uma carta escrita por Gerry já no hospital.

É a primeira de muitas que Holly recebe ao longo das semanas, incentivando-a a seguir em frente, conhecer novas pessoas, superar os traumas e dramas da sua vida e arriscar novos projetos. O longa entremeia flashbacks dos momentos bons e ruins – até mesmo cômicos – da vida que Gerry e Holly tinham juntos desde o momento em que se conheceram. Assim, a própria jovem descobre a maneira de se reerguer enquanto acompanhamos ela no processo de amadurecimento e esquecimento.

Paralelamente vemos a história das amigas que a seguem nesta jornada e suas próprias tentativas de encontrar um par. E mesmo quando nestes momentos tudo poderia soar clichê, as piadinhas e a descontração das meninas – especialmente em uma cena com Lisa Kudrow no bar – quebra o gelo e a estranheza que o clichê causaria.

Uma belíssima história de perda e superação, e também de amor, uma vez que Gerry era o “marido perfeito” – ainda que Holly se recusasse a ver isto em alguns momentos e até fosse “a chata” do relacionamento – ambos os personagens muito bem interpretados por Hilary Swank e Gerard Butler. Swank, que já se mostrou uma atriz excelente, nos presenteia novamente com sua boa atuação; já Butler vem angariando pontos positivos em torno de si – mesmo levando seus papéis para o lado mais cômico – se mostra muito seguro no papel de rapaz-para-casar e apaixonado pela esposa (o que para as mulheres é um deleite especial), com seu irresistível sotaque escocês.

Não é o típico filme de comédia romântica norte-americana, apesar de ter seus momentos graciosos. Este vale a pena! Aproveite o lançamento em DVD Blu-ray para assistir com altíssima definição os momentos de ternura do casal e as belas paisagens irlandesas.

Título Original: P.S. I Love You
Direção: Richard LaGravanese
Gênero: Romance
Ano de Lançamento (EUA): 2007
Roteiro: Steven Rogers e Richard LaGravanese, baseado em livro de Cecelia Ahern
Trilha Sonora: John Powell
Fotografia: Terry Stacey
Tempo de duração: 126 minutos
Com: Hilary Swank (Holly Kennedy), Gerard Butler (Gerry Kennedy), Lisa Kudrow (Denise Hennessey), Gina Gershon (Sharon McCarthy), James Marsters (John McCarthy), Harry Connick Jr. (Daniel Connelly), Nellie McKay (Ciara), Dean Winters (Tom), Anne Kent (Rose Kennedy), Brian McGrath (Martin Kennedy), Sherie Rene Scott (Barbara), Susan Blackwell (Vicky), Kathy Bates (Patricia Rawley) e Jeffrey Dean Morgan (William “Billy” Gallagher).

Anúncios

One comment

  1. Ai, achei o filme babaquérrimo. E o Gerard Butler o babaca mor, com aquele sorriso preso à face. Ainda bem que ela vai para a Irlanda e a paisagem salva o filme. Bem, mas eu tenho 62 anos e há muito tempo não acredito em marido (nem mulher) perfeito…



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: